quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Poesia


Quase Nada

Um que era nada, belo dia se tornou "Quase nada".
"Quase nada" fumava, "Quase nada" viajava...
Tal viagem fez alinhar os pensamentos de "Quase nada"
"Quase nada" foi rimar, foi pra pista trabalhar.

"Quase nada" passou fome e não teve onde morar.
"Quase nada" foi gravar, com intuito de se expressar.
Teve apoio, saiu da lama e foi pro palco batalhar.
Derrotou, foi derrotado e se tornou um campeão.

"Quase nada" agora era "Quase irmão".
"Quase nada" agora era " Quase sangue bom."
Foi idolatrado, foi discriminado, foi muito e querido e também foi hostilizado.
"Quase nada" é o caralho, é o "Quase mais amado"

O "Quase mais ouvido" agora é muito respeitado.
Faz show toda semana em todo canto, todo lado.
Quem vive hoje em Ipanema e ja viveu em Inhauma
É o "Quase Rei do Mundo", mas ja foi o " Porra Nenhuma".

13 comentários:

  1. Genial!!!

    É de sua autoria? Se não for, perdoe minha ignorância. Mas o fato é que o poema é genial!

    Parabéns e paz!

    CONE!!

    ResponderExcluir
  2. ai irmao tava lendo o seu blog ai, e tem umas ideias q eu queria trocar com vc, vc pode me passa um e-mail ou algum contato seu?
    eduardo.j.cim@hotmail.com. fica com deus mano

    ResponderExcluir
  3. parabéns mlk piranha, é nóis queiróiz!
    mil grau!

    lip-x@hotmai.com

    ResponderExcluir
  4. Porra ai maomé so teu fã Tu rima mUito !

    AI alguem sabe onde compra a camisa da COne ?

    ResponderExcluir
  5. Foda!!!!!

    maomé Rima pra krl!!!

    e nois

    ResponderExcluir
  6. "Quase nada" é o caralho, é o "Quase mais amado"

    ResponderExcluir